Arghus recomeça na Grécia após drama e relembra auge na Eslovênia: "País fabuloso"

Zagueiro sofreu grave lesão e agora busca afirmação depois de deixar o Braga

As marcas provocadas por uma grave lesão, seja ela onde for, tradicionalmente só se apagam com um remédio que não é lá reconhecido pelo imediatismo. Infalível e implacável, o tempo é o principal responsável por curar cicatrizes e, acima de tudo, oferecer recomeços. E é nessa tese que o zagueiro brasileiro Arghus se agarra e tenta se reerguer após ter sofrido uma grave contusão na temporada 2016/2017.

Afinal, o defensor precisou operar os músculos isquiotibiais de uma das coxas durante o período em que esteve emprestado pelo Braga, de Portugal, ao Excelsior, da Holanda.

Retornou ao time português, chegou a atuar pela equipe B no segundo semestre de 2017 e agora tem a chance de retomar a carreira no Panetolikos, da Primeira Divisão da Grécia, como conta em entrevista exclusiva ao Blog De Primeira.



"No ano passado passei o momento mais difícil da minha vida na Holanda. Tive uma lesão muito séria que por pouco não me tirou dos gramados para sempre. Tive que aprender com isso, superar uma lesão complicada e aprendi a olhar o futebol com outros olhos. Mas, com a ajuda da minha família, eu venci, foi uma grande batalha até meu retorno e, graças a Deus, me recuperei e estou muito bem de novo. Parece que nunca tive nada", disse o brasileiro aos 30 anos.

AUGE NA ESLOVÊNIA

Natural do Rio Grande do Sul, Arghus surgiu para o profissional no Juventude. Rodou por Itália, Espanha, Porto Alegre-RS e River-PE antes de despontar no futebol europeu em um centro não tão expressivo no cenário mundial: a Eslovênia.

O zagueiro chegou ao Maribor na temporada 2011/2012 e rapidamente tornou-se referência no clube, um dos mais tradicionais do país e fundado em 1960. Vestiu a camisa da equipe em 118 jogos oficiais, marcou oito gols e ainda foi campeão da Liga Eslovena por quatro vezes, entre 2011 e 2015. Além disso, ainda disputou a Liga dos Campeões e a Liga Europa por lá.



"Na Eslovênia foi o país onde eu mais fui feliz até hoje. Cheguei desconhecido e conquistei todos e tudo o que podia dentro do futebol. Joguei diversas vezes a Liga Europa, a Champions League e consegui me tornar um nome importante e admirado no país. O país é fabuloso e rústico, adorei passar 4 anos por lá. Meus filhos nasceram em Maribor e espero um dia voltar", afirma Arghus.

VIDA NA GRÉCIA

Arghus deixou o Maribor para defender o Braga na temporada 2015/2016. Apesar de ter assinado por três anos, não conseguiu ter sequência. Foi emprestado ao Excelsior e na última janela de inverno da Europa se transferiu para o Panetolikos, atual décimo segundo colocado no Campeonato Grego.

"Minha vinda para Grécia está sendo boa e tranquila. É claro, é tudo muito diferente do que eu estava acostumado. Assinei por um ano e meio e espero ser bastante feliz aqui. Eu estou morando em Agrínio, uma cidade mais tranquila, sem muita agitação em comparação à Atenas. Aqui é mais familiar e vejo muitas crianças na rua brincando e isso me agrada. Ficamos a 3 horas da capital, mas estou gostando daqui", conta Arghus, que ainda revelou os planos para o futuro.

"Futebol é muito dinâmico, não posso pensar no futuro sem fazer bem o meu presente e tudo depende do que eu apresentar aqui na Grécia. Tenho planos e sonhos de ainda voltar a jogar uma Liga Europa ou quem sabe uma Champions League de novo. Estou trabalhando muito forte para isso, mas, caso não aconteça isso, posso dizer que estou realizado com o futebol".

Comentários