Ex-Flu se reinventa, encara frio escandinavo e sonha brilhar na Dinamarca



Formado na base do Tricolor, Matheus Leiria chegou ao Helsingor no fim do ano passado


Aos 23 anos, Matheus Leiria encara, pela segunda vez na vida, um gelado desafio, mas que pode transformar definitivamente a sua carreira. Criado na base do Fluminense, ele acertou em meados do ano passado o seu retorno para a Dinamarca, onde já havia defendido o Hobro IK, em 2015.

Após uma passagem pelo Glória-RS, o meia acabou contratado por três temporadas pelo Helsingor, clube da Primeira Divisão e da cidade onde é localizado um dos castelos mais conhecidos da Europa, o Kronborg. E para engrenar na região nórdica nesta segunda oportunidade por lá, o brasileiro contou à equipe De Primeira o caminho que precisará seguir.

"O estilo de jogo dinamarquês é bem diferente do nosso estilo de jogo brasileiro. O estilo de jogo dinamarquês exige muito do nosso preparo físico. Não que no Brasil isso não aconteça. Mas aqui há muito contato físico, onde exige muito que o jogador tenha um preparo físico mais específico. Inicialmente, foi um pouco difícil para mim, tive que treinar para ganhar mais massa muscular, para que eu pudesse me sobressair diante o contato físico do adversário, que é constante durante o jogo", conta Matheus.              



Nascido no Rio Grande do Sul, Matheus Leiria esteve na base do Fluminense por cerca de dois anos. Sem oportunidades no time de cima do Tricolor, rodou por algumas equipes no futebol brasileiro desde então: Boavista-RJ, Juventus Jaraguá-SC e Glória-SC.

Desde a chegada à Dinamarca, o meia participou de 11 jogos do Helsingor na elite do campeonato local.

"Em janeiro de 2017, o Helsingor já havia demonstrado interesse em me contratar. Mas, devido à fatores burocráticos, não consegui efetuar minha transferência. Eles continuaram me acompanhando. No segundo semestre de 2017, entraram novamente em contato com o meu agente William Baidek. Deu tudo certo burocraticamente para que eu me apresentasee à equipe antes de fechar o prazo da janela de transferência", diz ele.


O clube, a cidade e o castelo

O Fodboldklub Helsingor é um clube considerado novato no futebol dinamarquês. Foi fundado em agosto de 2005 e soma apenas um modesto título da Terceira Divisão nacional. A equipe, por sinal, leva o nome da cidade, onde fica o Castelo de Kronborg, retratado na famosa obra de William Shakespeare, "Hamlet", escrita entre 1599 e 1602. (Confira a imagem do castelo abaixo).

Atualmente, o Helsingor é o 13º colocado do Campeonato Dinamarquês, liderado pelo Midtjylland. Devido ao rigoroso inverno escandinavo, a competição deu uma pausa em dezembro, e o Helsingor teve que manter os treinamentos na Turquia. No próximo fim de semana, no entanto, a bola voltará a rolar: a equipe do brasileiro enfrenta o Odense BK.


"O frio aqui na Escandinávia é bastante rigoroso, temperaturas baixas diariamente e é comum nevar também. Mas o curto período dos dias é o que mais me chama a atenção aqui. No inverno, amanhece 8h e, em torno das 17h, já é noite. O sol aqui é algo 'raro', pois a maioria dos dias são sombrios", conta Matheus que mora com a esposa na Dinamarca.

Comentários