Feliz no Qarabag, Pedro Henrique recorda gols históricos na Grécia e na Champions League

Ex-Grêmio e Caxias-RS, atacante de 27 anos atualmente joga no Azerbaijão


Vinte e sete de setembro de 2017. Uma data memorável para o Qarabag, para uma nação e para um jogador em especial: Pedro Henrique. Foi naquele dia em que o atacante brasileiro de 27 anos fez história ao marcar o primeiro gol de um clube do Azerbaijão na fase de grupos da Champions League.

É bem verdade que a equipe saiu derrotada - perdeu por 2 a 1 para a Roma, da Itália, em casa, no Estádio Olímpico de Baku. Mas, mesmo assim, Pedro Henrique recorda com orgulho ao Blog De Primeira como foi atingir o feito pelo time azerbaijano logo em cima do goleiro da seleção brasileira, Alisson. 

"No Azerbaijão está sendo uma experiência sem palavras. Fiz gol na Champions League, o primeiro de uma equipe do Azerbaijão na fase de grupos. Vir para cá foi uma surpresa para mim. Vim nos últimos dias da janela", relata Pedro.


Criado na base do Grêmio, Pedro Henrique soma passagem por Zurich (Suíça), Rennes (França) e PAOK (Grécia). No início desta temporada 2017/2018, deixou a equipe grega após eliminação nos playoffs da Liga Europa disposto a participar da inédita campanha do Qarabag, um clube que deixou a cidade natal Agdam em 1993 devido a conflitos sangrentos entre Azerbaijão e Armênia.

Desde então, o Qarabag mudou-se para a capital Baku e tem sido soberano de nos últimos anos. Afinal, soma quatro títulos consecutivos da Liga do Azerbaijão e, nesta temporada, surpreendeu ao se garantir na fase de grupos da Champions - feito inédito para o país.

O clube fundado em 1951 caiu na chave de Chelsea, Atlético de Madrid e Roma e acabou eliminado com apenas dois pontos. Mas, ao menos, conseguiu tirar pontos do Atlético de Madrid na Espanha e em casa.


Além disso, a equipe, que ainda conta com o volante brasileiro Richard Almeida, que é naturalizado azerbaijano, segue liderando o campeonato nacional rumo ao quinto título seguido. 

"Foi e está sendo uma experiência muito bonita, muito bacana. Pude jogar a Champions League na primeira parte da temporada e também estamos lutando pelos títulos que o clube nos últimos anos vêm ganhando. Estou muito feliz de estar participando desse momento do clube", diz o brasileiro, que ainda conta como tem sido morar em Baku, maior cidade do país e habitada por cerca de dois milhões de pessoas.

"A cidade está se modernizando muito. Tem novos prédios e lembra muito Dubai. Tem muitas construções em andamento. O Richard (outro brasileiro do Qarabag) me disse que o país se modernizou muito rápido. Inclusive tem o circuito de Fórmula 1 no Centro de Baku. Só o trânsito que é meio maluco. Mas não estou de carro aqui, porque temos o motorista do clube."


A CARREIRA

Pedro Henrique chegou à Europa muito cedo, em janeiro de 2012, após ter se destacado pelo Caxias-RS, onde se profissionalizou. Se transferiu para o Zurich, onde foi campeão da Copa da Suíça na temporada 2013/2014. De lá, rumou à França e ficou no Rennes, da Primeira Divisão, entre 2014 e 2016.

No entanto, o melhor momento do brasileiro no Velho Continente aconteceu pelo PAOK, da elite grega, em 2017. Afinal, foi dele o gol do título da Copa da Grécia. O atacante marcou o segundo da vitória por 2 a 1 sobre o AEK na grande decisão menos de 10 minutos depois de ter entrado em campo no segundo tempo.


"Eu guardo com carinho todos esses momentos. A minha primeira experiência na Suíça, onde conquistou o título da copa, a ida para a França, que foi a minha primeira experiência num top 5 das principais ligas europeias... Mas, sem dúvidas, a Grécia foi onde me marcou muito. Isso por ter conquistado um título que o PAOK não ganhava há muito tempo. Fiz o gol e me identifiquei muito com a torcida de lá", encerra.

Comentários