Perto de quebrar recorde na Austrália, Bobô não descarta volta ao Brasil: "Sempre tentador"

Atacante é o artilheiro da A-League nesta temporada pelo Sydney


São 22 gols em 22 jogos. Nunca na história do futebol australiano um jogador atingiu uma média tão elevada. E coube justamente a um brasileiro a missão de realizar o feito: Bobô, ex-Corinthians, Cruzeiro e Grêmio. 

O atacante do Sydney tem vivido uma das melhores fases da carreira na terra do Canguru e é disparadamente o artilheiro da A-League, a Primeira Divisão nacional.

Além de se tornar o primeiro jogador a superar a média, o veterano atacante de 33 anos está perto de quebrar um outro recorde. O jogador está a três gols de igualar o uruguaio Bruno Fornaroli, que anotou 25 gols em 2016 pelo Melbourne City e é o recordista de tentos na elite local.


"São 22 jogos e 22 gols. Nenhum outro jogador conseguiu fazer isso no clube. Na história do campeonato, estou a poucos gols de quebrar o recorde. Para ser sincero, não esperava viver um momento tão bom. Mas faltam cinco jogos para acabar o campeonato e espero continuar fazendo gols", conta o atacante em entrevista exclusiva ao Blog De Primeira.

CHEGADA AO PAÍS

Após disputar 55 jogos pelo Grêmio entre 2015 e 2016, Bobô chegou ao Sydney na temporada 2016/2017 e logo de cara foi campeão nacional pelo clube, comandado pelo ex-jogador australiano, Graham James Arnold. 

Durante a campanha do título, o atacante marcou 15 gols pela equipe que já venceu a Liga Australiana em três oportunidades (2005/2006, 2009/2010 e 2016/2017). Ele, no entanto, ficou longe da artilharia da competição, já que o albanês Besart Berisha, do Melbourne Victory, balançou as redes 21 vezes.


"Minha relação com a torcida e com o público sempre foi muito boa até antes de quebrar o recorde pelo clube. Na temporada passada eu fiz 15 gols e a relação sempre foi muito boa também".  

IDOLATRIA E LIDERANÇA

O melhor momento de Bobô no futebol australiano viria somente nesta atual temporada 2017/2018. Titular absoluto e uma das referências da equipe, Bobô balançou as redes 15 vezes nas 22 partidas realizadas pelo Sydney nesta primeira fase do Campeonato Australiano. Por duas rodadas seguidas, inclusive, anotou um hat-trick - contra Wellington Phoenix e Perth Glory.

O desempenho dele, aliás, ajudou a colocar o clube na liderança da A-League e na briga pelo bicampeonato consecutivo. Com 52 pontos, o Sydney está isoladamente na ponta da fase inicial da competição, que conta com 10 equipes e é decidida por um playoff entre os quatro primeiros colocados.


Aos poucos marcando o nome na história do futebol local, Bobô, que recentemente chegou aos 200 gols na carreira, avaliou como vê o desenvolvimento do esporte no país. 

Afinal, a Austrália possui uma seleção que disputou as últimas três Copas do Mundo (2006, 2010 e 2014) e que estará no Mundial da Rússia, mas não tem tradicionalmente um campeonato dos mais badalados.

"Apesar de ser uma das potências econômicas, o futebol aqui não tem tanta visibilidade, mas está crescendo bastante o investimento. Acredito que em alguns anos o futebol na Austrália vai se destacar. Apesar do país sempre se classificar para a Copa do Mundo, o campeonato nacional tem tudo para crescer ainda mais", diz.


O FUTURO

Com a reta final da temporada, Bobô já começa a pensar nos planos para a sequência da carreira. Apesar do bom momento vivido por ele no país, o jogador que despontou pelo Corinthians em 2005 ainda não definiu se permanecerá por lá a partir da metade do ano.

Ídolo no futebol turco, onde foi campeão seis vezes pelo Besiktas, o atacante não descarta, inclusive, uma volta ao Brasil. Ele prefere deixar as portas abertas e analisar o que de melhor virá após os inúmeros gols anotados do outro lado do mundo.


"Acho que com esse sucesso, espero quebrar mais esse recorde e ver o que vai acontecer no final da temporada. Tenho algumas coisas para serem feitas aqui, porque é muito bom para jogar, para se viver, mas a gente nunca sabe. Estou aberto para o que aparecer de proposta e vou ver o que é melhor para mim, para minha família e para minha carreira", disse Bobô, que ainda completa:

"As propostas do Brasil sempre são tentadoras, porque é a sua casa, o seu país. Mas vamos ver o que pode acontecer no final da temporada. Estou aberto à possíveis ofertas que forem aparecer, vamos sentar e ver o que é melhor".



Fotos: Divulgação/Sydney, Grêmio e Besiktas

Comentários