Ex-Bota e xodó de Seedorf, Cidinho renasce na França e projeta enfrentar Neymar

Jogador vai permanecer no AS Béziers, recém-promovido à Segunda do país



Uma das principais promessas da base do Botafogo nos últimos anos, o meia-atacante Cidinho se reencontrou na França. Desde 2017, ele defende o modesto AS Béziers e ajudou o clube a subir da Terceira para a Segunda Divisão do campeonato nacional na última temporada.

E o Blog De Primeira bateu um papo com o jogador de 25 anos, que se prepara para mais uma temporada na Europa. Cidinho afirmou que permanecerá na equipe, onde tem contrato até 2019.

"Eu vou continuar aqui, sim. A gente vai jogar a Segunda Divisão da França e já começamos a pré-temporada. Tenho contrato até o ano que vem", disse o jogador, que já projeta um eventual encontro com o PSG de Neymar futuramente.


"Já pensei nisso (jogar contra o PSG e Neymar). Podemos subir nessa temporada ou podemos encontrar pela Copa da Liga ou pela Copa da França. Isso se cairmos no sorteio com eles. Seria uma boa chance".

Cidinho despontou com a camisa do Botafogo em 2011. Logo de cara, caiu nas graças da torcida após gols importantes. Um ano depois, virou xodó de um dos grandes nomes do futebol mundial: Seedorf, que defendeu o clube carioca entre 2012 e 2013.

Após conviver com lesões no joelho, acabou perdendo espaço ao longo das temporadas e acabou deixando o clube. Em 2017, teve a oportunidade de assinar pelo Avenir Béziers, fundado em 1911 e que carrega o nome da cidade.

"Estou gostando muito de morar aqui, é uma outra cultura. A cidade de Béziers fica perto de Toulouse, de Montpellier e faz fronteira com a Espanha. É perto de Barcelona, que fica a duas horas daqui. Qualquer folga dá até para ir para lá. É muito legal e estou gostando muito", conta o brasileiro.


Adaptado ao país e ao clube, Cidinho terá pela frente a missão de disputar a Segundona da França, que conta com equipes tradicionais do futebol local, como Sochaux, Lens e Auxerre, por exemplo. Com a meta de colocar o clube na elite do país, o brasileiro, no entanto, não esconde a voltar de atuar num grande centro em breve.

"Estou felizão aqui. Se Deus quiser, vai dar tudo certo e vamos ver o que acontece. Vai que a gente sobe para a primeira, né. Mesmo que não suba, o importante é fazer uma boa temporada e, quem sabe, ir para um outro time", encerra.

Comentários