Conheça Romeu Romão, o brasileiro que "virou Suárez" em Malta

Lateral-direito de 28 anos atualmente defende o Mosta FC


Por Blog De Primeira

Na Copa do Mundo de 2010, o uruguaio Luis Suárez protagonizou um dos lances mais emblemáticos da história dos Mundiais. Nas quartas de final da competição, ele impediu, em cima da linha e com a mão, um gol de Gana no último minuto da prorrogação contra o Uruguai. Resultado? O árbitro marcou pênalti, expulsou o atacante, mas o ganês Asamoah Gyan desperdiçou a cobrança, e a partida acabou empatada por 1 a 1.

Nos pênaltis, os uruguaios venceram por 4 a 2 e avançaram às semifinais da Copa na África do Sul. Cinco anos depois, em 2015, um brasileiro repetiu o lance e deu uma de Suárez. Trata-se do lateral-direito Romeu Romão. Atuando pelo Valleta, de Malta, ele impediu um gol do adversário com a mão e em cima da linha. Foi expulso, mas o goleiro do seu time fez a defesa e garantiu vitória por 1 a 0. (Assista no vídeo abaixo).



"Virou tema de um programa da Fox Sports do Brasil. Na ocasião, íamos ganhando um jogo apertado por 1 a 0. Houve um escanteio contra a gente, e o jogador deles cabeceou encobrindo o nosso goleiro. Meu recurso foi tirar a bola com a mão por impulso de não tomar o gol. Acabou que no final acabou dando certo. Nosso goleiro fez a defesa de pênalti e saímos vencedores da partida", lembra o brasileiro em entrevista exclusiva ao Blog De Primeira.

Romeu chegou à ilha de Malta em 2015 após rodar por vários clubes brasileiros, como Ponte Preta, Caldense, Botafogo-SP, Bangu e Dom Bosco, por exemplo. Desembarcou no Valleta, um dos mais  tradicionais clubes do país e fundado no ano de 1943. Pelo clube, foi bicampeão nacional, colecionou outras taças e viu de perto o desenvolvimento do futebol em Malta nos últimos anos.

"O futebol tem crescido muito aqui. A tendência é atrair mais o olhos para a ilha. A estrutura é mais focada nos times grandes, por terem mais chances de ir para as competições europeias. Os torcedores são quase iguais nos times de menor expressão. Enquanto estiver no topo da classificação, eles enchem o estádio. Caso contrário, ninguém vai (risos). Eles gostam mais da seleção nacional, por estarem sempre enfrentando grandes equipes europeias", conta.


Romeu ainda revelou o tamanho da influência da cultura italiana no futebol de Malta. Afinal, a ilha fica muito próxima do país tetracampeão. Mas, apesar da distância com a Itália, Malta é uma antiga colônia inglesa e, por isso, tem o inglês como idioma oficial.

"Na parte defensiva é muito parecida com a filosofia italiana. A maioria dos jogos aqui termina 1 a 0 ou 2 a 1. Tem muitos empates também. Defender é a prioridade deles".

O país, que conta com cerca de 460 mil habitantes, é considerado hoje um dos principais destinos turísticos na Europa, principalmente no verão. É, também, alvo de muitos estudantes brasileiros que buscam estudar inglês no exterior.

"A ilha é linda e paradisíaca, cercada por belas praias. O que mais me chama a atenção aqui é a segurança e o baixo custo de vida", disse Romeu.


Na última janela de transferências, Romeu Romão deixou o Valleta e se transferiu para o Mosta FC. Segundo ele, a ideia é permanecer no país por muito tempo.

"Até tenho algumas propostas de outros países, mas a minha família está toda adaptada na ilha. Meus filhos já falam inglês, e eu tenho um plano de seguir trabalhando como treinador nas categorias inferiores dos clubes", encerra.

Comentários