Ex-Botafogo lembra aprendizado com Seedorf e período em Portugal

Rodrigo Dantas tem 29 anos e foi revelado no Alvinegro


E se alguém te contasse que você seria jogador profissional de futebol, com 18 anos estaria na seleção de base, treinaria com Neymar e Hulk e ainda atuaria ao lado de um dos maiores jogadores da história? É, isso tudo aconteceu com o Rodrigo Dantas, meia revelado pelo Botafogo.

“Comecei a transição em 2007 depois que me destaquei na Copa São Paulo, aí fiquei por muito tempo treinando no profissional e jogando nos juniores, subi em definitivo em 2009 na final do Campeonato Carioca porque o Maicosuel se machucou, o Ney Franco me puxou e dali nunca mais desci para base. Fiquei feliz, foi a realização de um sonho”, disse Dantas em entrevista exclusiva ao Blog De Primeira.

Destaque no Botafogo, Rodrigo Dantas acumulou passagens pela base da seleção brasileira e chegou jogar o torneio de Sendai, no Japão, em 2007. Sem tantas oportunidades no Botafogo, rodou emprestado por Portuguesa-RJ, América-RN, Duque de Caxias-RJ e Vasteras, da Suécia.

“Os empréstimos me fizeram amadurecer. O futebol nos clubes menores é uma outra realidade, quase sempre jogando por amor ao esporte”, conta o meia.

Em 2012, o meia esteve, inclusive, na preparação para os Jogos Olímpicos de Londres, onde treinou com Neymar e Hulk, por exemplo. Em 2013, após rodar por empréstimos, retornou ao Botafogo e conviveu de perto com holandês Seedorf, astro do Alvinegro na época.


“Foi uma experiência única, aprendi muito com o Seedorf dentro e fora de campo e, para coroar, fomos campeões cariocas em 2013. Ele dava muitos conselhos do que viveu principalmente no Milan”, lembra Rodrigo. 

Entre as idas e vindas no Botafogo, Rodrigo Dantas chegou a ser negociado com o Estoril, de Portugal. Por lá, ganhou espaço e recebeu uma nova função do ex-treinador do clube, Vinicius Eutrópio.

"Na Europa você tem que cumprir a tática rigorosamente se não você não joga. Horário para treinos e jogos têm que seguir na risca, lá é mais rápido, mais dinâmico. Aqui no Brasil é mais pensado, como um jogo de xadrez”, explicou.

Na terra de Cristiano Ronaldo foi onde Dantas conseguiu se destacar. Com boas atuações e resultados por onde passou, conquistou um grande espaço.

“Em Portugal não tive dificuldade, foi uma das melhores fases da minha carreira, me adaptei bem ao futebol e ao país, todos os clubes que passei conquistei os objetivos. No Estoril, fomos campeões da segunda liga. Pelo Belenenses, conseguimos a vaga na Liga Europa. No Varzim, conquistamos a manutenção, que era o objetivo do clube que tinha acabado de subir e, no Fátima, fui campeão da Taça. Então em Portugal foi perfeito, tenho saudade e sonho voltar a jogar lá".


 Praticamente todo jogador de futebol tem aquela história curiosa para contar. Não é verdade? E é claro que com Rodrigo não seria diferente. 

"Passei por muitas resenhas engraçadas. Teve uma vez em Portugal, assim que cheguei em 2011, fomos no shopping jantar e, na saída, fomos parados pela polícia. Eu não sabia que tinha que andar com o passaporte, e a polícia não acreditava que éramos jogadores. Tivemos que chamar outro jogador. No fim, quando tudo se resolveu, fui agradecer à polícia e falei assim: ‘Obrigado, meu querido’, como uma fala de agradecimento, e eles pensaram que eu estava zombando deles e quase fomos presos”, conta Rodrigo aos risos.

Atualmente com 29 anos, Rodrigo Dantas procura um novo clube após ter disputado a última Série C do Brasileiro pelo Tupi-MG.

Comentários