Sensação na Bélgica, cobiçado por gigantes e gols na Champions: Wesley brilha na Europa

Atacante brasileiro é o grande nome  do Club Brugge

Por Mateus Marinho

Aos 21 anos, Wesley Moraes ainda é um nome pouco conhecido no Brasil, mas, cada vez mais, o jovem atacante brasileiro ganha os holofotes na Europa. Ele tem brilhado no Velho Continente pelo Club Brugge, atual campeão belga. Na última terça-feira, inclusive, Wesley marcou um dos gols da histórica goleada por 4 a 0 sobre o Monaco, fora de casa, pela Champions League.

Com o resultado, o Brugge chegou à primeira vitória na competição, afundou o time do principado na lanterna do Grupo A - que ainda conta com Atlético de Madrid e Borussia Dortmund - e ainda deixou o clube perto de se garantir na Europa League com a terceira posição. 

E, em entrevista exclusiva ao Blog De Primeira, o atacante brasileiro destacou a importância da partida e do seu segundo gol na Champions - ele já havia marcado contra o Monaco em casa, no turno.


“Esse é um jogo que vai ficar na história do Brugge e também na minha. Marcar um gol na Champions é especial. Foi um gol muito importante e que valoriza o clube e a todos nós”, disse o atacante.

Wesley está em sua quarta temporada na Europa, mas o começo da carreira não foi dos mais fáceis. Ele chegou a ser rejeitado na base do Atlético-MG e só foi se destacar pelo Itabuna, da Bahia. Acabou passando um período no sub-20 do Atlético de Madrid, mas, após problemas internos, não ficou no clube espanhol.

Chegou a passar um tempo no Nancy, da França, e pouco tempo depois decidiu apostar num mercado alternativo no futebol europeu: a Eslováquia. O brasileiro acabou contratado pelo AS Trencin, onde anotou 8 gols em 22 jogos na temporada 2015/2016.

“Eu aprendi a lidar com um estilo de jogo de choque, marcação dura e questões de clima e língua. Foi um grande aprendizado que hoje tiro proveito”, garante.


Ainda na mesma temporada, foi negociado com o Club Brugge, da Bélgica, e foi campeão da primeira divisão pela primeira vez, marcando dois gols em 6 jogos. De lá para cá, virou protagonista no time belga e, na última temporada, acabou eleito o melhor jogador jovem do país após balançar as redes 12 vezes em 42 partidas.

Já nesta temporada, vive o seu melhor momento da carreira. Já são 10 gols em 17 confrontos. O desempenho, inclusive, já o faz sonhar com a seleção brasileira.

“Estamos trabalhando para isso. Gostaria muito de receber uma chance, seria sensacional. É um sonho que tenho e quero usar meu trabalho para chamar a atenção. Quem sabe para Copa América? Quero até lá estar ainda melhor que hoje”, conta o brasileiro, que recentemente anotou o seu primeiro hat-trick na carreira, na goleada por 4 a 0 sobre o Gent, e prefere não estipular uma meta de gols.


“Não boto metas de gols, não. Tenho que pensar no time e que possa ajudar no que estivermos disputando. Sobre meu momento, estou bem já há algum tempo. Fiz uma liga na Bélgica muito boa em 17/18 e quero melhorar. Com o tempo amadurecemos e chegamos melhor a cada ano”.

Na última janela de transferências, a imprensa italiana chegou a noticiar por meses uma negociação de Wesley com a Lazio, da Itália, mas informou que o atacante optou por permanecer na Bélgica.  Desde então, rumores apontam o interesse de diversos clubes no atacante: Fiorentina, Chelsea e, mais recentemente, o Bayern de Munique.

“Eu só vejo pelos jornais e pelo que ouço. Tenho pessoas de muita competência que cuidam de mim e o que decidirem será o melhor pra minha carreira. Não há um clube específico que eu queira jogar, mas temos planejamento de carreira para dar voos mais altos. Mas tudo no tempo certo, sem estresse”, afirma.

Recentemente, em entrevista à Fox Sports, Wesley revelou que teria a vontade de defender o Flamengo no futuro, mas explicou a declaração.


“Na verdade, fui mal interpretado. Isso é um assunto muito mais para frente. Quero fazer carreira no exterior. Ser feliz aqui e depois pensamos nisso”, explica o brasileiro, que ainda revelou os sonhos para o futuro.

“Meu sonho é crescer profissionalmente e chegar a um patamar capaz de ser reconhecido pelo meu trabalho. Estou com calma e paciência que tudo vai andar na hora certa. Mas quero crescer e, para isso, vou trabalhar muito como venho fazendo”, finaliza.

Comentários

  1. Muito boa entrevista pessoal, grande jogador que teria espaço no Brasil facilmente!

    Abraços!

    ResponderExcluir

Postar um comentário