Convívio com Mbappé, rodagem na Europa e artilheiro na Bélgica: conheça Leonardo Rocha

Luso-brasileiro de 22 anos foi contratado pelo Eupen


Ele nasceu em Portugal, mas é filho de brasileiros, já jogou em cinco países na Europa e conviveu de perto com Kylian Mbappé, um dos grandes astros do futebol mundial. Leonardo Rocha tem só 22 anos, mas possui uma bagagem de dar inveja.

O atacante luso-brasileiro, inclusive, terá pela frente uma nova aventura. Ele foi contratado nessa semana pelo Eupen e terá a oportunidade de jogar, pela primeira vez, a elite da Bélgica.

O clube pagou cerca de € 500 mil ao Lommel United, clube belga onde o centroavante de 1,96m marcou 21 gols na temporada passada e se tornou o artilheiro da segunda divisão. E ele bateu um papo exclusivo com o De Primeira para falar sobre a chegada à nova casa.

"As expectativas são grandes. Espero poder ajudar o Eupen ao máximo com gols e boas atuações. Que façamos um ano maravilhoso, se Deus quiser", disse o centroavante, que assinou até junho de 2022.


A ligação de Leonardo Rocha com o Brasil veio dos pais, que foram para Portugal na década de 90. Foi lá onde, inclusive, ele nasceu e começou a carreira na base, passando por clubes como Boavista e Belenenses.

"Toda a minha família, incluindo meus pais, é brasileira. Meus pais se casaram e foram para Portugal, onde eu nasci e vivi até meus 14 anos. Amo o Brasil, é um país maravilhoso de se viver ", afirma.

Leonardo chegou a passar um período no Ituano-SP e no Barra-SC, segundo o site Transfermarkt. Depois, retornou à Europa e passou por times da Itália, da Espanha e pelo Monaco, um dos clubes mais poderosos do futebol francês.

"(O Monaco) foi onde eu evoluí bastante no requisito profissional e pessoal. Um grande aprendizado que me preparou para o mundo profissional e que sempre recordarei com carinho, tanto os amigos e os bons momentos no clube", conta.


Na base do Monaco, Leonardo Rocha ainda teve a oportunidade de ver de perto o crescimento do campeão mundial Kylian Mbappé, joia do clube na época e hoje um dos principais atacantes do mundo.

"Kylian era um garoto diferenciado já com a gente. Histórias com ele assim eu não tenho, mas tenho bons momentos. Era um garoto tranquilo, educado, mas, como era um ano mais novo, eu conviva mais com os da minha geração", lembra.

Neste fim de semana começa o Campeonato Belga, e o Eupen vai encarar o Royal Antwerp pela primeira rodada.


Leonardo, aliás, vive a expectativa de se firmar ainda mais na Bélgica na sua primeira oportunidade numa primeira divisão como profissional.

O foco é tanto que ele, pelo menos por enquanto, não quer nem pensar na decisão sobre qual seleção defenderia no futuro caso for chamado.

"Com essa pergunta você me mata (risos). Ainda nenhuma me chamou. Então não posso decidir nada. Se Deus permitir que esse dia chegue, eu tomarei uma decisão", encerrou.

Comentários