Encontros com Messi e CR7, títulos no Chipre e longo período na França: a história de Carlão

Cria do Corinthians, defensor de 33 anos está livre no mercado

Juan Andrade

Em julho de 2008, Carlão trocou o Corinthians e rumou à Europa. O destino foi o Sochaux, da França. Desde então, foram 11 temporadas no Velho Continente, muitas histórias, títulos e experiências também na Itália e no Chipre.

"Os primeiros seis meses foram bem difíceis na Europa. Tive propostas para voltar após esses meses, mas meus pais foram fundamentais para que eu continuasse na Europa. Sinceramente, eu não imaginava passar todos esses anos no exterior", admite.

Aos 33 anos, o polivalente defensor está livre no mercado após ter deixado o APOEL, clube onde viveu as melhores glórias da carreira. Pelo time, foi cinco vezes campeão nacional e disputou cerca de 160 partidas oficiais.


Em entrevista exclusiva ao De Primeira, ele contou como foi passar esse período no Chipre.

"Foram cinco títulos nacionais e foram cinco temporadas especiais, mas cada uma de uma forma diferente. Muitas pessoas aqui no Brasil nunca ouviram falar no Chipre, muito menos no futebol praticado por lá. Posso dizer que me surpreendeu muito positivamente o nível do campeonato, onde já atuaram jogadores que já passaram por grandes clubes do futebol europeu", disse.

Carlão foi revelado na base do Corinthians, onde disputou 49 partidas com a camisa do clube. Negociado, chegou à França e ficou seis temporadas no Sochaux, onde disputou a Ligue 1.

"Acho que todos os momentos na França foram especiais para mim. Tanto dentro de campo como fora de campo. Me fez crescer muito como jogador e pessoa. Sou eternamente grato ao Sochaux e à França", afirma.


Em 2014, ele chegou ao Chipre para defender o APOEL, principal clube do país e atual heptacampeão nacional. Na equipe, teve a oportunidade de disputar a Champions League pela primeira vez na carreira e chegou a encarar dois dos maiores jogadores da atualidade: Messi, do Barcelona, e Cristiano Ronaldo, então no Real Madrid.

"Eu sempre gostei de enfrentar os melhores. E enfrentar os melhores do mundo foi um momento marcante na minha carreira. Em campo se nota que não é por acaso que os dois chegaram onde chegaram. Após uma partida da Liga dos Campeões contra o Barcelona, eu recebi um elogio do Messi pela boa partida que eu tinha feito. Essa partida fez com que eu figurasse na seleção da rodada da Champions League. Algo inédito até então para um jogador atuando no Chipre".

Carlão, que também teve uma curta passagem pelo Torino, da Itália, agora está estudando o futuro. Após os muitos anos no futebol europeu, cogita, inclusive, um retorno ao Brasil.


"Recebi algumas propostas, mas ainda não tomei uma decisão. Realmente eu saí muito cedo (do Brasil). Tenho vontade de atuar novamente no futebol brasileiro em alto nível. Hoje sou um jogador muito mais evoluído. Tiveram algumas sondagens recentemente daqui", encerrou.

Comentários